MONTEMOR-O-NOVO

A antiga vila de Montemor-o-Novo surge, em época medieval, no cimo de uma colina a que davam o nome de “monte maior” e que deu o nome à vila, pela sua visibilidade e aspeto majestoso. Foi reconhecida por D. Sebastião em 1563 como Vila Notável e obteve dois Forais dos reis D. Sancho I (1203) e D. Manuel (1503).

A vila teve o seu apogeu durante os séc. XV e XVI e é neste período da história que a cerâmica de Montemor teve o seu reconhecimento. Durante e após o século XVI, os oleiros eram em tão grande número que se fixaram numa rua do arrabalde da vila, facto que conferiu a essa rua a designação de Rua dos Oleiros.

Foram alguns escritores e historiadores que nos deixaram documentado a magnifica argila de que a cerâmica de Montemor era feita e de como era, na época, apreciada pela casa Real Portuguesa.

Em 1553, Duarte Nunes de Leão, historiador, fez referência na obra “Descrição do Reino de Portugal” ao “barro mui cheiroso, e amassados com muitas pedrinhas, que sam tantas as pedras como o barro”, característica que lhe era peculiar.

Apesar desta tradição ter entrado em decadência e já não existirem oleiros a trabalhar esta técnica, a tradição oleira de Montemor-o-Novo continua viva com as atividades no Telheiro da encosta do castelo e com a associação Oficinas do Convento que, para além da produção de tijolo burro e de olaria de características construtivas e ornamentais, recebe diversos artistas nacionais e internacionais em residências artísticas.

Em março de 2015, com a requalificação e reestruturação do Telheiro, a inauguração do Centro de Investigação de Cerâmica (Antigos Lavadouros Públicos de Montemor-o-Novo) e do Laboratório de Terra, nasceram as Oficinas da Cerâmica e da Terra, tornando possível odesenvolvimento de novas propostas na área da formação, investigação, construção e de trabalho com a comunidade nos vários campos ligados à cerâmica.

Olímpio Manuel Vidigal Galvão

Olímpio Manuel Vidigal Galvão

Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo

Mensagem da Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo

Montemor-o-Novo foi um dos municípios que integrou o grupo fundador da Associação Portuguesa das Vilas e Cidades Cerâmicas em 2018.

Uma associação que defende a valorização da identidade cultural e a preservação da memória coletiva é uma mais valia para qualquer Concelho que aposte na cultura e na preservação do seu Património Cultural enquanto veículo de integração e de coesão social.

Montemor-o-Novo tem uma longa tradição cerâmica que se inicia nas primeiras comunidades neolíticas que habitaram o nosso território e nos deixaram, como testemunhos mais marcantes, antas e outros monumentos megalíticos, mas também um importante conjunto de cerâmica ritual associada a esses monumentos.

Desde esse período e até à atualidade Montemor-o-Novo foi terra de oleiros e barristas, artesãos que, a partir da terra, construíam os mais variados objetos para o uso quotidiano.

No século XVI os barros de Montemor eram conhecidos por todo o país e inclusivamente fora dele, devido às pedrinhas que eram incorporadas no barro e que conferiam à água um sabor e frescura especiais.

As escavações arqueológicas no castelo de Montemor e a documentação histórica confirmam a importância da olaria aqui produzida e da sua comunidade oleira que, inclusivamente, deu nome a uma rua do Centro Histórico da cidade.

Apesar da tradição de produção cerâmica de cariz utilitário estar extinta, Montemor-o-Novo é hoje reconhecido pela cerâmica artística e de construção produzidas no Telheiro da Encosta do Castelo, no Centro de Investigação cerâmica e no Laboratório de Terra e dinamizados pela Associação Oficinas do Convento, com o apoio do Municipio de Montemor-o-Novo.

A Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, enquanto principal promotora e guardiã do património material e imaterial da terra e das gentes de Montemor, pretende assim continuar a defender e valorizar esta arte de trabalhar a terra e de a transformar em barro.

Olímpio Manuel Vidigal Galvão
Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo

Representantes da APTCVC

Henrique José Lopes_Montemor-o-Novo

Vice-Presidente Henrique José Leocádio Lopes, CM de Montemor-o-Novo

Vice-Presidente do Conselho Fiscal